Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
4





                                              

                            

 

 

 


Cláudia Lobo
Cláudia Lobo

ENTREVISTA: escritora Cláudia Lobo

 

 

Sua Biografia:

O meu nome é Cláudia Lobo. Sou portuguesa e professora de inglês.

Sempre adorei ler, desde o momento em que aprendi as primeiras letras. E aí li o meu primeiro livro e muitos mais vieram depois.

Tenho a certeza que você adora ler como eu, então, entra nessa aventura mágica da leitura.

 

Sua Obra:

 

A Menina dos Cabelos Cor de Fogo

 

Num planeta distante, todos os seus habitantes têm os cabelos azuis, o que os torna um pouco vaidosos.

Nesse planeta mora uma menina diferente, uma menina com os cabelos cor de fogo e essa sua peculiar característica fará com que uma pessoa muito especial seja salva.

 

 

Como surgiu a escritora Cláudia Lobo?

Acho que surgiu pelo fato de eu ser uma leitora ávida. Desde criança que os meus pais me incentivaram o gosto pela leitura. E, de repente, achei que poderia escrever algo meu, o que acabou por acontecer.

 

 

Você é professora de inglês, como é a sua relação com as crianças?

Tento sempre ter uma relação de empatia com as crianças e adolescentes. Acho que essa é a base de tudo. E procuro saber quais são os seus interesses, o que as motiva, para poder facilitar a aprendizagem.

 

Fale um pouco sobre a cultura em Porto.

Neste momento há imensas coisas a acontecer no Porto. O atual Presidente da Câmara (Prefeito, no Brasil) tem procurado incentivar mais os eventos culturais, até, por exemplo, reabilitando edifícios históricos para aí albergar novos projetos. Esse é o seu segundo e último mandato, e, ao contrário do Presidente anterior, que saiu deixando a Câmara sem dívidas e até com lucro, mas pouco investiu na cultura, ele está a fazer um excelente trabalho a nível cultural na cidade

 

Como o governo administra a cultura, há incentivos públicos, ou tudo é realizado pela iniciativa privada?

Há incentivos públicos que apoiam as várias áreas da cultura, mas estão a diminuir, devido à crise financeira que passamos há sete anos. No entanto, outro dia houve um protesto por parte de artistas, que se queixavam da falta de incentivos públicos e então o governo aumentou o orçamento para a área da cultura. No entanto, esse aumento é muito pequeno, num país que gasta mais com futebol do que com cultura. Também existe iniciativa privada, com patrocinadores para vários projetos, mas ainda falta fazer muito pela cultura em Portugal.

 

Fale a respeito do seu livro A Menina dos Cabelos Cor de Fogo? Por que escreveu o livro?

Eu estava a tentar escrever um romance, só que não conseguia avançar com a história e um dia, de repente, essa história surgiu na minha cabeça e escrevi tudo num dia apenas.

E quando acabei de escrever, vi que, talvez devido à minha profissão, me era fácil escrever para crianças. E escrevi para que elas lessem e gostassem da história.

 

O tema central é a diferença. É mais fácil ensinar as crianças com a ajuda de um livro dedicado a elas?

Claro que sim. Quando se tem um livro dedicado às crianças, o processo de ensino/aprendizagem torna-se mais fácil e mais motivador, quer para o professor, quer para os alunos.

 

Ainda sobre as diferenças e o preconceito, como se comporta a sociedade portuguesa em geral? Existe muito preconceito racial ou de gênero?

Eu acho que existe menos preconceito, pelo menos nas novas gerações. No entanto, às vezes ouço comentários na rua que mostram que o preconceito, racial e de género, ainda existe, infelizmente. E isso incomoda-me profundamente.

 

E seus projetos literários. Está escrevendo um novo livro?

Eu gostaria de escrever um novo livro e até tenho algumas ideias para esse novo projeto, mas não sei quando vou dedicar-me à sua escrita, por enquanto.

 

Por que você recomenda a leitura de seu livro para as crianças e seus pais?

Recomendo a leitura do meu livro porque ele toca precisamente nesse preconceito que ainda existe relativamente à diferença e porque o aborda de uma forma leve, mas que faz pensar.

 

Deixe uma mensagem para seus amigos e leitores.

Leiam, leiam sempre. A leitura é a base do conhecimento e este pode mudar mundos.

 

Contatos com a escritora através de seu e-mail:

claudialobo_pt@yahoo.com.br