Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
18





                                              

                            

 

 

 


Quem foi Max Weber
Quem foi Max Weber

QUEM FOI MAX WEBER

 

Sociólogo alemão, escreveu diversas obras fundamentais para as teorias econômica e sociológica do século 20.  Weber estudou Direito, História e Economia e foi um grande renovador das ciências sociais.  Ao contrário dos precursores da sociologia, acreditava que o método dessa disciplina não podia ser uma mera imitação do empregado pelas ciências naturais.

Nos fenômenos sociais, dizia, interferem indivíduos com consciência e intenções.  Propôs, então, o método dos tipos ideais, categorias que descrevem a intencionalidade dos agentes mediante casos extremos e isentos de ambiguidade.  Mesmo que eles nunca viessem a acontecer, permitiriam uma análise dos objetos estudados.

TENDÊNCIA

Politicamente, Weber foi um democrata liberal e reformista.  Contribuiu na fundação do Partido Democrata Alemão e, depois da derrota alemã na I Guerra Mundial, foi membro do comitê de intelectuais que representou o governo alemão na Conferência de Paz de Paris, em 1918.  Max Weber morreu em Munique em 1920.

O primeiro resultado da aplicação do método de Weber foi a obra A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO (1905).

Trabalhando sobre os tipos ideais burguês, ética protestante e capitalismo industrial, ele estudou a moral que propunham algumas seitas calvinistas dos séculos 16 e 17 para mostrar que a reforma protestante havia criado, em alguns países ocidentais, uma cultura social mais favorável ao desenvolvimento econômico capitalista que a predominante nos países católicos.

Weber se esforçou, também, para compreender a importância dos elementos culturais e das mentalidades coletivas na evolução histórica.  Para ele, a racionalidade é essencial para se entenderem as transformações da sociedade ocidental.  Essa teoria aparece na obra póstuma ECONOMIA E SOCIEDADE (1922).

 

Fone:  Jornal O Sul