Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
9





                                              

                            

 

 

 


Quem foi Max Weber
Quem foi Max Weber

QUEM FOI MAX WEBER

 

Sociólogo alemão, escreveu diversas obras fundamentais para as teorias econômica e sociológica do século 20.  Weber estudou Direito, História e Economia e foi um grande renovador das ciências sociais.  Ao contrário dos precursores da sociologia, acreditava que o método dessa disciplina não podia ser uma mera imitação do empregado pelas ciências naturais.

Nos fenômenos sociais, dizia, interferem indivíduos com consciência e intenções.  Propôs, então, o método dos tipos ideais, categorias que descrevem a intencionalidade dos agentes mediante casos extremos e isentos de ambiguidade.  Mesmo que eles nunca viessem a acontecer, permitiriam uma análise dos objetos estudados.

TENDÊNCIA

Politicamente, Weber foi um democrata liberal e reformista.  Contribuiu na fundação do Partido Democrata Alemão e, depois da derrota alemã na I Guerra Mundial, foi membro do comitê de intelectuais que representou o governo alemão na Conferência de Paz de Paris, em 1918.  Max Weber morreu em Munique em 1920.

O primeiro resultado da aplicação do método de Weber foi a obra A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO (1905).

Trabalhando sobre os tipos ideais burguês, ética protestante e capitalismo industrial, ele estudou a moral que propunham algumas seitas calvinistas dos séculos 16 e 17 para mostrar que a reforma protestante havia criado, em alguns países ocidentais, uma cultura social mais favorável ao desenvolvimento econômico capitalista que a predominante nos países católicos.

Weber se esforçou, também, para compreender a importância dos elementos culturais e das mentalidades coletivas na evolução histórica.  Para ele, a racionalidade é essencial para se entenderem as transformações da sociedade ocidental.  Essa teoria aparece na obra póstuma ECONOMIA E SOCIEDADE (1922).

 

Fone:  Jornal O Sul